Internação psiquiátrica compulsória

Share on facebook
Share on whatsapp

Pesquisando informações por uma clínica de internação psiquiátrica compulsória? A InterHelp Internação vai ajudar!

Embora existam definições diferentes de tratamento psiquiátrico forçado ou obrigatório sob diferentes legislações nacionais, esse termo geralmente é usado quando alguém é submetido a tratamento médico contra sua própria vontade.

Nesse sentido, a psiquiatria representa uma clara exceção, porque outros campos médicos. Geralmente não permitem tratamento forçado.

Os tipos de tratamentos forçados às pessoas variam e não são realizados apenas em hospitais – alguns podem ser forçados a tomar drogas psicotrópicas em outras instituições, inclusive em sua própria casa.

Internação psiquiátrica compulsória

As regras sobre a aplicação de tal tratamento variam de país para país. Tais medidas são ordenadas pelo tribunal ou com base em avaliações de profissionais médicos ou clínicos gerais.

Em alguns países, é necessária mais de uma opinião; em outros, apenas uma é suficiente. A duração do tratamento varia, assim como a possibilidade de revisão.

É importante observar que a admissão em um hospital não significa necessariamente que a pessoa passará por ‘tratamento’ lá, mesmo que parentes e amigos acreditem que esse seja o caso.

Os pacientes costumam passar semanas em um hospital sem outras terapias além da medicação. A restrição física também é usada com muita frequência.

Qual o objetivo da internação psiquiátrica compulsória?

A internação psiquiátrica compulsória, não tem como objetivo melhorar a saúde, mas visa prevenir danos resultantes de comportamentos que, acredita-se, causam tais danos – suicídio ou pôr em risco a vida de outras pessoas.

Esse conceito baseia-se na crença de que o tratamento psiquiátrico pode influenciar efetivamente esses comportamentos e que as pessoas podem ser “curadas”

o tentar entender o que significa tratamento psiquiátrico obrigatório, precisamos considerar as diferenças nas perspectivas de profissionais e pacientes médicos.

Enquanto para os médicos, enfermeiros ou membros do tratamento involuntário do judiciário representa uma forma de tratamento médico, as pessoas submetidas ao tratamento coercitivo o experimentam como uma limitação grave de sua liberdade pessoal.

Muitos se sentem ameaçados pelas decisões tomadas sobre suas vidas sem seu consentimento.

Utilidade:
CREMESP  Internação psiquiátrica compulsória